As castanhas são um fruto muito rico do ponto de vista nutricional, oferecendo ao organismo vários nutrientes de que este necessita.

  • Contêm hidratos de carbono que possuem quantidades de amiloses, amilopectinas e polissacarídeos, que permitem o desenvolvimento da flora intestinal.
  • Por conterem fibras que estimulam a presença de bactérias probióticas benéficas ao intestino (do género Bifidobacterium e Lactobacillus), ajudam a reduzir a inflamação e algumas enzimas que podem estar na origem de alguns cancros do intestino.
  • A fibra que possuem pode ajudar a regular os níveis de colesterol.
  • São uma boa fonte de energia, isenta de glúten, o que as torna aptas para serem também consumidas por quem sofre de doença celíaca.
  • São pobres em gordura, mas dados os níveis de hidratos de carbono complexos e fibras, são bastante saciantes.
  • Possuem diferentes fitoquímicos e vários compostos fenólicos que são importantes antioxidantes e protetores celulares.
  • São ricas em minerais como cálcio, ferro, magnésio, potássio, fósforo, zinco, cobre e selénio.
  • Cerca de 10 castanhas assadas fornecem 36% da quantidade necessária de vitamina C, 21% de vitamina B6 e 15% de ácido fólico.

Além de serem um alimento com vários compostos nutricionais, as castanhas têm ainda a vantagem de poderem ser consumidas de várias formas. Cozidas, assadas, salteadas ou cruas, as castanhas são o fruto seco mais apetecido e característico do outono.

É um alimento a manter numa alimentação saudável e é costume perder-se a conta à quantidade que comemos numa só refeição.

As castanhas devem ser ingeridas em pequenas quantidades – entre 100g a 150g – o aconselhável para uma porção de hidratos à refeição – o que equivale mais ou menos a quatro ou cinco castanhas. Ao comer mais, corre o risco de ter flatulência (gases) e ou barriga inchada. Por isso, o ideal é moderação.

Boas Castanhas!

Odília Abreu

Centro de Acupunctura do Funchal